9.25.2017

Limão e sua Saúde



 10 Benefícios do Limão para sua Saúde!
O limão é boa fonte de fibras e vitamina C, além de conter outras vitaminas (tiamina, riboflavina) e minerais (fósforo, silício, cálcio e ferro).
Grande parte dos seus benefícios estão vinculados a uma substância presente na casca, chamada d-limoneno (rica em flavonoides). Esses flavonoides possuem ação antioxidante que previne a ação dos radicais livres.
Confira o que essa frutinha pode fazer por você:
  1. Ajuda a digestão.  O sumo de limão elimina matérias indesejáveis e toxinas. A sua composição  é semelhante à da saliva e fluidos digestivos.  Ajuda o fígado a produzir bílis, ácido essencial para a digestão. Os limões são também ricos em minerais e vitaminas que ajudam a soltar toxinas do trato digestivo. As propriedades digestivas do sumo de limão aliviam sintomas de indigestão como azia, arrotos e flatulência.
  2. Reduz o risco de câncer de esôfago: O limão, como todas as frutas cítricas, contém níveis fisiológicos significativos de flavonas. A ingestão de flavonas é associada a diminuição do risco de câncer de esôfago. 
  3. Melhora o humor e reduz a ansiedade: O óleo de limão possui atenuador de ansiedade (ansiolítico), um tipo de antidepressivo através da modulação de neurotransmissores.
  4. Ajuda a manter o peso: Os polifenóis da casca do limão suprimem a obesidade induzida por dieta, hiperglicemia e resistência à insulina. Os limões são ricos em fibra pectina que ajuda a combater os desejos por comida.
  5. Fortalece o sistema imunológico: Os limões são ricos em vitamina C que é ótima para afastar constipações. São ricos em potássio, que estimula o cérebro e o sistema nervoso, bem como regula a tensão arterial. O ácido ascórbico, presente nos limões, tem efeitos anti inflamatório e é usado em casos de asma e outras condições respiratórias, uma vez que aumenta a absorção de ferro pelo organismo. O ferro tem um papel importante no sistema imunológico. Os limões contem também saponinas com propriedades anti microbianas que combatem constipações e gripes.
  6. Equilibra os níveis de pH do sangue: Os limões são uns dos alimentos com mais propriedades alcalinas. Eles são ácidos por si, mas quando processados pelo organismo se tornam alcalinos.Os limões contem ácidos cítrico e ascórbico, ambos facilmente metabolizados permitindo que os componentes minerais melhorem os níveis alcalinos do organismo. Beber limão com água regularmente ajuda a remover a acidez do corpo, incluindo o ácido úrico nas juntas, uma das principais causas de dores e inflamações.
  7. Melhora a aparência da pele: A vitamina C e outros antioxidantes diminuem as rugas e manchas e ajudam a combater os danos dos radicais livres. A vitamina C é vital para a luminosidade da pele ao mesmo tempo que a sua natureza alcalina mata alguns tipos de bactérias que causam acne. Pode até ser aplicado diretamente em cicatrizes ou em sinais para melhorar o aspeto.  Uma vez que o sumo de limão elimina toxinas do sangue, ajuda a prevenir manchas, “de dentro para fora”.
  8. Refresca o hálito: Além de refrescar o hálito, o limão é conhecido por aliviar as dores de dentes e gengivas. Atenção que o ácido cítrico pode causar erosão no esmalte dos dentes. Não escove os dentes logo após tomar o sumo de limão com água.
  9. Trata garganta infeccionada: O limão é uma excelente fruta que auxilia no combate a problemas relacionados a infecções de garganta, dor de garganta e amigdalite, pois tem uma propriedade antibacteriana. Para dor de garganta, dilua o suco de meio limão com metade de água e faça gargarejos com frequência.
  10. Evita o envelhecimento precoce: Como todos os cítricos, o limão é conhecido pelo seu alto conteúdo de vitamina C, mas também contem vitamina A, e  E. Esses antioxidantes ajudam a prevenir envelhecimento das células e neutralizam os radicais livres.

Quer saber mais?

Se animou para incluir mais limão no seu dia-a-dia? Para saber muito mais sobre o limão, dicas de como usar, o papel do limão na beleza, etc, confira o post Tudo sobre o Limão!.
 Tudo sobre o limão!


Nutrição e Qualidade de Vida

TUA SAÚDE

Folha de S.Paulo (notícias)



Tropa de choque de Temer usará CPI da JBS para atacar nova denúncia

Na quarta (27), por exemplo, o plano é direcionar o depoimento do procurador Ângelo Goulart Villela para que relate os métodos de Janot para negociar acordos de delação
Eliane Trindade/Folhapress Eliane Trindade/Folhapress


Como prevenir dos cálculos renais?


O que é o cálculo renal?

O cálculo renal ou pedra nos rins geralmente começa como um pequeno material parecido com um cristal, que gradualmente se desenvolve em uma massa grande e sólida.
A urina normalmente possui substâncias químicas que inibem a formação desses cristais. Quando eles permanecem pequenos podem passar pelo trato urinário e serem excretados sem que percebamos. Porém quando se juntam para formar uma pedra, podem se prender nas laterais dos rins ou se instalar em áreas onde impeçam a passagem da urina.

O que causa pedra nos rins?

Mais de 90% dos indivíduos com pedra nos rins possuem anomalias químicas no sangue ou urina, que contribuíram para a formação da pedra. Não beber água suficiente também pode ser um fator.
A ingestão inadequada de fluidos causa a pedra nos rins devido à pouca produção de urina, consequentemente aumentando a concentração da mesma.
Quanto menor a quantidade diária de urina, maiores são as chances de formação do cálculo renal.
Os fatores de risco incluem:
– Idade. Mais comum na meia idade.
– Nível de atividade. Pessoas imobilizadas ou exercício excessivo.
– Clima. Mais comum em climas quentes durante os meses de verão.
– Histórico familiar.

Quais são as anomalias químicas que causam o cálculo renal?

Existem quatro tipos de anomalias químicas que causam pedra nos rins:
– Cálculo de cálcio. Pessoas que formam esse tipo de pedra possuem altos ou baixos níveis de cálcio, oxalato ou urato na urina. A ingestão de sal em excesso faz com que a urina fique com altos níveis de cálcio. Beber leite não causa pedra nos rins.
– Cálculo de estruvite. Infecção urinária crônica pode causar esse tipo de pedra.
– Cálculo de ácido úrico. Esse tipo de pedra se forma quando a urina se encontra muito ácida, fazendo com que a produção de ácido úrico aumente.
– Cálculo de cistina. Essas pedras se formam devido à condições hereditárias, as quais, impedem o organismo de se livrar da cistina do sangue. Geralmente outros membros da família possuem essa condição.
Entender o tipo de pedra no rim que se possui é importante para o tratamento e prevenção da mesma.

Diagnóstico:


Se existir suspeita de cálculo renal, por dor ou sangue na urina, o médico irá pedir exames de raios x e ultrassom dos rins, uretra e bexiga. O raio x geralmente detecta as pedras, porém o ultrassom é necessário em alguns casos. O teste de urina também pode ajudar no diagnóstico.
Como as pedras nos rins saem do organismo?
Em muitos casos, a pedra irá ser expelida pela urina. Esse processo pode ser doloroso e geralmente dura dois dias. Se não for possível expelir a pedra, a remoção ou esmagamento da mesma será necessário (o esmagamento da pedra faz com que os pequenos pedaços sejam expelidos mais facilmente).

Sintomas:

As pedras nos rins podem causar dor, sangue na urina e bloquear a passagem da mesma. Os sintomas podem não ser sentidos em alguns casos.
Eles incluem:
– Necessidade frequente de urinar.
– Incapacidade de urinar (quando a pedra bloqueia a passagem da urina).
– Náusea e vômito.
Outros sinais incluem febre, calafrios, fraqueza e urina turva e malcheirosa.

Prevenção:

Estudos indicam que determinados hábitos alimentares podem facilitar ou prevenir a formação de pedra nos rins.
A ingestão de líquidos ajuda a manter a urina “diluída”. É indicado que se beba de 8 a 10 copos por dia; 5 de água e 5 de líquidos como sucos, leite, café entre outros.

Beba álcool com moderação ou nunca.
É importante evitar a ingestão de sal e outros alimentos com altos níveis de sódio como carnes processadas e alimentos congelados.
Procure manter uma dieta rica em fibras e pobre em gorduras. Alguns alimentos podem ajudar a formação do cálculo renal: Chocolates, espinafre, couve, beterraba, nabo, ruibarbo, bagas, amendoim, aspargos, chá, anchovas, caviar, arenque, vieiras, mexilhões, extratos de carne e carne de órgãos (fígado, rins, cérebro).
Medicamentos como antibióticos e citrato de potássio podem acompanhar o tratamento.

O cálculo renal tem cura, porém é melhor prevenir.

FONTECLEVELANDCLINIC.