8.09.2009

PRESSÃO BAIXA


O que fazer se você estiver com a pressão arterial baixa?

A pressão arterial média é de 130/80 mmHg. Se a sua pressão cair bruscamente (pressão baixa ou hipotensão arterial), você terá menor irrigação de sangue nos órgãos, inclusive no cérebro. Isso pode provocar vertigens, visão turva, sensação de desmaio, palpitações e fraqueza. Algumas das causas mais freqüentes de hipotensão são mudanças bruscas de posição, o consumo de alguns medicamentos ou a permanência de pé por muito tempo. Veja algumas dicas para o caso de a sua pressão cair freqüentemente.


1 Evite fazer movimentos bruscos.

2 Levante-se devagar da cama. Sente-se por um minuto com os pés apoiados no chão e só depois fique em pé.

3 Evite ficar em pé durante muito tempo.

4 Tente usar meias de compressão. Elas aumentam a pressão periférica das pernas, permitindo a chegada de mais sangue ao coração e, com isso, o aumento da pressão arterial.

5 Se você não tiver nenhuma contra-indicação médica, aumente o consumo de sal na sua dieta cotidiana.

6 Tome de 2 a 3 litros de líquidos por dia, a menos que o seu médico indique outra quantidade.

7 Evite ficar em jejum ou passar muito tempo sem comer. Nunca deixe de tomar o café da manhã.

8 Se você perceber que vai desmaiar, deite com as pernas elevadas ou sente-se e coloque a cabeça para baixo, entre as pernas, empurre a cabeça para cima e com as mãos impeça que ela suba, fazendo pressão.

9 Depois de alguma atividade física intensa, descanse, beba líquidos (é preferível os que têm minerais) e coma algo leve.

10 Se estiver em um ambiente fechado, abra as portas e as janelas.

11 Se fizer muito calor, use roupa leve e clara, beba líquidos e fique em lugares frescos e adequadamente ventilados.

12 Se você precisa tomar medicamentos sempre ou com freqüência, vá com regularidade ao médico para rever a indicação, e eventualmente, ajustar a freqüência e a dose.

Importante
* Procure um médico com urgência se você:
-Tiver hemorragia.
-Desmaiar.
-Sentir falta de ar.
-Sentir dor no peito.
-Sentir o coração bater muito rapidamente ou de forma irregular.
-Sentir muita dor de cabeça ou no abdômen.
-Tiver diarréia ou vômitos.
-Apresentar urticária ou algum outro sintoma de alergia.


Pressão Baixa
Sinônimos: Hipotensão arterial, Choque, Hipotensão postural

O que é?

Pressão arterial baixa pode significar ou não uma doença, um sinal indicativo de uma doença de maior ou menor gravidade. Nos casos de doenças mais graves, a queda da pressão é uma das manifestações de enfermidades que costumam estar acompanhadas de outros sinais e sintomas que dominam o quadro clínico.

Podemos dizer que a grande maioria das pessoas que se queixa, atribuindo seus sintomas à queda da pressão arterial, são pessoas sadias, que não estão doentes, pelo menos fisicamente. Quem pode dizer se a pessoa apresenta alguma doença que provoca a baixa da pressão é o médico.

Ter a pressão arterial baixa é uma das queixas mais freqüentes e, na grande maioria dos casos, é um sinal de boa saúde. Os médicos afirmam isso por saberem que os portadores de pressão arterial baixa costumam ser saudáveis e que, provavelmente, terão vida longa.

Níveis

Em se tratando de pessoas adultas, considera-se como pressão arterial baixa, quando os níveis da máxima estão abaixo de 90 mm Hg (ou 9 cm de Hg). Existem pessoas sadias que apresentam níveis até mais baixos e que, nem por isso, apresentam sintomas. Por sua vez, há pessoas com uma pressão arterial habitualmente alta que, quando apresentam algum problema de saúde, esta pressão poderá cair para níveis inferiores aos que estão habituados. Por exemplo: alguém que apresente uma pressão arterial máxima de 110 mm, quando o seu habitual é de 180 m HG Hg, poderá sentir, nesta situação, manifestações decorrentes da queda dos níveis de pressão habituais. Nestes casos, um médico deverá avaliar e orientar o tratamento.

Quando devemos nos preocupar?

Em algumas situações de doenças mais graves, podem ocorrer quedas de pressão significativas que provocam manifestações, inclusive a morte.

A situação de pressão baixa mais grave é denominada de choque, que acontece quando a pressão do sangue nas artérias é insuficiente para manter a irrigação dos tecidos. É o que pode acontecer em:
hemorragias externas profusas (abundantes)
reações alérgicas a medicamentos
picadas de insetos
envenenamentos
traumatismos
desidratação
sangramentos internos
queimaduras extensas e profundas
intoxicações severas
doenças da glândula supra-renal
algumas doenças do coração, agudas ou crônicas
moléstias agudas dos pulmões, tanto dos seus vasos quanto em infecções severas


São situações clínicas graves e alarmantes, acompanhadas de outros sintomas, tais como: dores, suores abundantes, aceleração dos batimentos cardíacos, perdas de consciência, parada do funcionamento dos rins, etc.

Nestas doenças, os sintomas dominantes são as manifestações decorrentes destas enfermidades, e a pressão baixa é um achado do exame clínico que ajuda o médico a fazer o diagnóstico. Estes pacientes, de um modo geral, nem se dão conta de que sua pressão arterial caiu.

Tais situações clínicas costumam exigir atendimento médico de urgência, podendo a sua protelação até ser fatal! Situações Crônicas

Além das doenças mais agudas já citadas, outras enfermidades, ditas crônicas e consideradas como debilitantes, podem provocar diminuição dos níveis de pressão arterial. Os sintomas causados por estas enfermidades também dominam o quadro clínico e a diminuição da pressão é somente mais uma das manifestações do quadro clínico da doença principal.

A grande maioria dos casos de diminuição da pressão arterial não tem maior significado clínico, embora possam ser desagradáveis para os acometidos e apresentem algumas conseqüências, de uma maneira geral, menos graves.

Outras Causas para a Queda de Pressão
Uma das causas mais freqüentes de diminuição da pressão arterial é denominada de hipotensão postural, que acontece quando as pessoas, ao mudarem subitamente a posição do corpo, sentem tonturas ou a visão turva, sensação que passa em alguns segundos. É o que ocorre quando alguém, depois de estar durante muito tempo agachado, ao levantar-se subitamente, sente-te tonto e a visão embaralhada, chegando a oscilar o corpo ou mesmo a cair. Todavia, isso nem sempre significa doença, e acontece principalmente em pessoas não condicionadas fisicamente.
Pessoas desidratadas, como as que recebem altas doses de diuréticos, também podem apresentar quedas de pressão ao mudarem subitamente de uma posição para outra.
As baixas de pressão arterial são também uma manifestação freqüente em pessoas convalescendo de doenças ou que permaneceram por muitos dias acamadas. Nestes casos, a freqüência cardíaca costuma subir de 15 ou mais batimentos por minuto devido à diminuição da pressão arterial.
Pessoas que recebem certos medicamentos para baixar a pressão arterial, ou portadores de doenças neurológicas, endócrinas, como diabete,também podem apresentar queda de pressão, ao passarem da posição deitada, ou sentada, para ficarem de pé. Nestas situações, a queda de pressão provoca nenhuma ou apenas uma discreta elevação da freqüência dos batimentos do coração.


Observação Importante

A grande maioria das pessoas que afirma ou acredita ter a pressão baixa costuma fazê-lo por se sentir cansada, adinâmica, sem vontade para agir, sonolenta, foge do trabalho, tem constantemente desejos de deitar, sem vontade de fazer sexo, e acorda mais cansada do que estava à noite ao ir dormir; além disso, diz sentir muito frio.

Estas manifestações são mais provavelmente sintomas de depressão.

Pode acontecer dos pacientes atribuirem estes sintomas à pressão baixa por terem entendido mal as informações do médico que, ao falar em manifestações sugestivas "de depressão", seja interpretado como tendo se referido à manifestações decorrentes "da pressão". Depressão e queda de pressão são coisas diferentes, nem sempre bem explicadas aos que consultam por estes sintomas. Pessoas que apresentam sintomas depressivos, assim como as que têm quedas de pressão transitórias, provocadas por mudanças de posição corporal, costumam melhorar de seus sintomas ao fazerem exercícios físicos regularmente. Isto acontece, em primeiro lugar, por liberarem as endorfinas com a atividade física, desse modo, abafando as sensações depressivas. Em segundo lugar, por condicionarem o corpo e, por isso, podem obter mais rápida acomodação da pressão arterial e distribuição do sangue quando houver mudança da posição corporal.

Fonte: Bem Simples / Boa Saúde

Nenhum comentário: